Semana de 4 dias de trabalho? Proposta avança em vários países e até no Brasil

COMPARTILHE!

 


No Congresso dos Estados Unidos, ganha força um projeto de lei que visa implementar a semana de trabalho de quatro dias, com a proposta de reduzir a carga horária semanal de 40 para 32 horas, mantendo o salário dos trabalhadores inalterado.

A iniciativa, apresentada por um grupo de senadores, sugere três alternativas para a nova organização do trabalho: prolongar o final de semana até segunda-feira, iniciar o final de semana na sexta-feira ou distribuir a redução da carga horária ao longo dos dias da semana.

Figuras de destaque no mundo empresarial, como Sam Altman e o CEO do JPMorgan, apoiam a ideia, acreditando que a inteligência artificial e outras inovações facilitarão essa transição.

Argumentos Contra e a Favor

Entre os opositores da medida, há preocupações de que a nova jornada possa resultar em uma intensificação do trabalho em menos tempo, impactando negativamente alguns setores e a falta de estudos de longo prazo sobre as consequências dessa mudança. Por outro lado, defensores do modelo apontam para experiências positivas em empresas britânicas, onde testes com a semana de quatro dias resultaram em aprovação e implementação permanente do regime reduzido.

Situação no Brasil

No Brasil, a discussão também ganha espaço, com 22 empresas participando de um teste para avaliar a viabilidade da semana de trabalho de quatro dias. O Ministro do Trabalho já manifestou apoio ao modelo, indicando a possibilidade de uma futura adoção mais ampla da prática no país.

A proposta representa um potencial marco na forma como o trabalho é estruturado, prometendo benefícios para a qualidade de vida dos trabalhadores e possíveis ajustes nas dinâmicas produtivas das empresas.

Fonte: The News

SIGA NAS REDES SOCIAIS